15
Dez 10

Reformulação do índice (e tópicos) do enquadramento teórico

Aqui pode ser vista a recente reformulação do índice do enquadramento teórico e possíveis tópicos a focar.

publicado por filipa-jorge às 14:16 | comentar
12
Dez 10

Algumas questões (neste período pré-Natal)

Boa tarde a todos!

 

Estive algum tempo sem escrever nada no blog porque não tinha muito mais a dizer. No entanto, como diz o ditado, "depois da tempestade vem a boncança". Eu acrescento: "depois da tempestada vem um fim-de-semana de bonança e volta a vir a tempestade". Assim sendo, lista de tarefas para esta semana:

 

1 - Actualização da página da Wiki com resumos dos artigos que tenho lido nos últimos tempos (organização de ideias);

2 - Reformulação de modelo de análise;

3 - Reformulação de índice provisório do enquadramento teorico;

4 - Início da redacção do mesmo.

 

Aproveito para esclarecer que a metodologia para recolha de dados sofreu algumas alterações. Resolvi canalizar a minha análise apenas numa plataforma de comunicação on-line: a rede social Facebook.A amostra será composta por um máximo de 20 indivíduos, divididos por intervalos de idades, que serão posteriormente estabelecidos. Não serão analisadas crianças ou jovens (idades inferiores aos 18 anos), evitando ter de lidar com as questões inerentes a um estudo com menores de idade. Será utilizado um método não probabílisto de amostragem: a amostragem intencional. Tenho consciência de que é um risco utilizar este método, mas também sei que, tendo em conta o meu objecto de estudo, evito problemas relacionados com ética e direitos de imagem.

 

A amostra será, assim, constituída por indivíduos por mim conhecidos, que serão contactados e entrevistados previamente, não sendo, obviamente, totalmente esclarecidos do objectivo da análise, para que os dados sejam o minimamente possível  manipulados pelos mesmos.

 

A grande questão que se coloca, e com a qual estou a ter mais problemas, está relacionada com a melhor técnica para recolher dados em relação à utlização de video no Facebook pelos indivíduos. Uma ideia será pedir à amostra que faça um vídeo onde se auto-apresenta (criar um problema e pedir que a amostra simule a resolução do mesmo). No entanto, colocam-se problemas, nomeadamente em relação à disponibilidade da amostra para fazê-lo, à possibilidade de algum dos indivíduos não ter conhecimento técnico para gravar um vídeo e publicá-lo no Facebook, entre outras questões.

 

Para além da observação do comportamento dos indivíduos no Facebook (principalmente em relação ao seu perfil, galeria de fotografias, galeria de vídeos, estados e comentários) será realizado um inquérito, que permitirá recolher opiniões da amostra e outras questões que não tenham sido aprofundadas na observação ou que necessitem de complemento.

 

Bem...Por agora é tudo!

 

Filipa Jorge

publicado por filipa-jorge às 14:41 | comentar
01
Nov 10

Índice e Modelo de análise provisórios

Após a leitura de alguns artigos foi possível criar um índice provisório, não só para o enquadramento teórico como também para o projecto de dissertação no seu todo. Este índice, numa versão muito bruta, contém também conceitos e tópicos que pretendo definir/analisar no enquadramento teórico. Estes têm sido actualizados à medida que a revisão da literatura tem sido feita. O índice pode ser visto aqui.

 

Existe, também, uma versão provisório do modelo de análise, assim como ideias "em bruto" para possíveis hipóteses. A ideia é ir criando hipóteses à medida que vou consolidando os conhecimentos sobre a temática. Esse modelo de análise pode ser visto aqui.

publicado por filipa-jorge às 18:05 | comentar

Nova (re)formulação da questão de investigação

O professor Luis Pedro levantou uma questão pertinente quanto à minha questão de investigação. Relembro a mesma: "Qual a utilização dada aos conteúdos audiovisuais, pelos actores sociais, no contexto da sua auto-apresentação em plataformas de comunicação on-line?". 

 

O problema que se levantou está relacionado com o facto de um "actor social" poder ser um sujeito, uma organização, uma empresa, um país, etc. Tendo em conta este aspecto, pareceu-me pertinente alterar a denominação expressa na antiga versão da questão de investigação, visto ter como objectivo estudar apenas a auto-apresentação do sujeito.

 

Neste sentido, a última versão da questão de investigação é a seguinte: "Qual a utilização dada aos conteúdos audiovisuais, pelos sujeitos, no contexto da sua auto-apresentação em plataformas de comunicação on-line?". 

publicado por filipa-jorge às 17:48 | comentar
25
Out 10

Abordagem metodológica

 

 

 

 

Post antigo: Setting the stage: Exploratório ou Descritivo?

publicado por filipa-jorge às 21:00 | comentar
22
Out 10

(Pequena) reformulação da questão de investigação

Qual a utilização dada aos conteúdos audiovisuais, pelos actores sociais, no contexto da sua auto-apresentação em plataformas de comunicação on-line?

publicado por filipa-jorge às 14:34 | comentar | ver comentários (2)
21
Out 10

Actividade: How B|P Researched Spore

Problema:

 

Testar o jogo Spore da EA Video Games.

 

Metodologia utilizada normalmente:

 

A metodologia típica utilizada para a realização de testes recorre a "focus groups". Porquê? Para responsabilizar os investigadores, certificando-se a empresa que os contrata de que eles trabalham; pela sua facilidade na aplicação e pelo facto de funcionar ... razoavelmente bem.

 

Problemas da metodologia tradicional:

 

A metodologia tradicional poderá condicionar as respostas dos utilizadores, que não se sentirão confortáveis e que estarão condicionados pelo ambiente artificial em que se encontram. Para além disso, o "focus group" poderá ser constituído por indivíduos que não utilizam habitualmente o produto.

 

Nova abordagem metodológica:

 

A nova abordagem metodológica é caracterizada por realizar testes em ambientes naturais (ecosistemas tecnológicos), dar tempo suficiente aos utilizadores, testar o produto com utilizadores reais (que realmente o utilizam) e ter um script flexível, que se adequa à vontade do utilizador de fornecer informações.

 

Na recolha de dados foram utilizadas as seguintes técnicas/metodologias:

 

- SNERD - Simulated Native Environment Research Division: utlização de um ambiente similar a um ambiente natural: secretária, cadeira, PC, sem a presença de outros participantes, investigadores ou observadores que possam distrair o utilizador no seu ambiente natural. O objectivo foi, pois, o de deixar os utilizadores confortáveis para dizer e fazer o que quisessem, o que não seria possível com o recurso a um "focus groups".

 

Os utilizadores tinham de jogar durante seis horas durante duas noite, sem indicações explicitas. Apenas uma indicação foi dada: teriam de pensar em voz alta enquanto jogavam. Foi utilizado o software TeamSpeak para monitorizar o que os utilizadores diziam e ocasionalmente eram feitas perguntas. Os investigadores estavam numa sala separada. Foram testados 59 utilizadores, num total de 393 horas de jogo individual.

 

- PENS - Player Experience of Need Satisfaction: métrica utilizada para analisar questionários, que tinham a particularidade de ser administrados com o recurso a ecrãs tácteis em vez da caneta e papel convencionais. Para além disso, o questionário tinha uma duração máxima de 2 minutos, sendo que os utilizadores tinham a possibilidade de parar o questionário quando bem entendessem.

 

- Problemas encontrados com a nova metodologia: pouco tempo para visualizar os múltiplos meios utilizados para monitorizar os utilizadores (áudio, vídeo, etc...) e tirar notas ao mesmo tempo.


Resultados:

 

Pois ... Isso agora! ...

 


Fontes:

 

- How B|P Researched Spore

 

- Stop Bullshit Research in Five Easy Steps

 

- The Official Spore and Spore Creature Creator Site

publicado por filipa-jorge às 20:46 | comentar

Wiki actualizada

Boa noite!

 

Ontem e hoje trabalhei para organizar todos os conteúdos e conceitos que já adquiri sobre o tema deste projecto de dissertação após esta primeira fase de leituras, que já vai longa. Comecei, definitivamente, a utilizar a Wiki como um repositório de informação e como uma forma de organização de todo o trabalho que tenho vindo a desenvolver e que irei desenvolver no futuro.

 

Estes conteúdos poderão ser consultados aqui.

 

Bom trabalho a todos!

publicado por filipa-jorge às 20:14 | comentar
tags:

Setting the stage: Exporatório ou descritivo?

Nesta fase do projecto de dissertação, comecei a ponderar sobre a natureza do meu estudo, que, pelo que foi analisado na última aula, só poderá ser exploratório ou descritivo. Porquê?

 

Exploratório porque pretendo estudar um fenómeno sobre o qual, pelo que analisei até agora, não se conhece o suficiente - a utilização dos conteúdos audiovisuais na auto-apresentação on-line. O estudo incidirá, maioritariamente, num forte enquadramento teórico (revisão da literatura) e numa análise de conteúdo de perfis de uma reduzida amostra (focus group).

 

Descritivo porque pretendo estabelecer uma ponte entre a auto-apresentação on-line em redes sociais generalistas (tipo Facebook) e a utilização de conteúdos audiovisuais neste processo, nomeadamente aatravés da utilização dos canais do Youtube. Pretende-se, pois, relacionar dois fenómenos.

 

Assim sendo, aceitam-se sugestões e comentários, tendo em conta que a resposta ao meu problema pode ser demasiadamente óbvia, apesar da minha confusão.

publicado por filipa-jorge às 15:13 | comentar

Autores, estudos e conceitos

Após a primeira fase de leituras, foram identificados alguns autores e conceitos mencionados nos seus estudos que à primeira vista parecem ser de extrema relevância para este projecto de dissertação. Muitos desses conceitos podem ser visualizados na Wiki deste projecto, embora ainda não estejam todos os apontamentos sobre eles publicados. No entanto, na secção de Bibliografia poderão ser vistos os resumos dos artigos já analisados. Estas informações são disponibilizadas aqui.

 

Desses autores, destacam-se:

 

- Erving Goffman, com o seu livro "A apresentação do eu na vida de todos os dias" (1959), onde apresenta a teoria dramatúrgica, que analisa o comportamento humano na sociedade, utilizando como metáfora o meio teatral e os seus conceitos/definições. O individuo é comparado a um actor e a sua conduta a uma representação. A vida em sociedade é altamente comparada a uma encenação. Neste sentido, esta obra serve como a principal base teórica deste projecto de investigação, sendo que a teoria de Goffman está enraizada na psicologia social, tendo dado origem a vários trabalhos posteriores.

 

- É pertinente falar em Mark R. Leary, que fiquei a conhecer através de um artigo que focarei mais à frente neste post. Leary distingue técnicas de apresentação, das quais se destacam quatro: a auto-descrição, as demonstrações de atitude, os comportamentos não-verbais e as associações sociais.

 

- Sherry Turkl, pioneira no estudo sobre o estabelecimento de relações entre indivíduos mediado por computador. Ainda não analise muito profundamente o trabalho desta autora. No entanto, já consegui perceber, pelos artigos que já li em que ela é mencionada, que o seu trabalho foi pioneiro no estudo de ambientes on-line anónimos. Será muito importante, portanto, fazer um grau de comparação entre os ambientes anónimos e "não-anónimos", pelo que ela será uma base teórica importante nesta contextualização.

 

Nesta altura, os artigos que mais se destacaram foram os seguintes:

 

- "A Study of Self-Presentation in Light of Facebook" (2007), de Sasan Zarghooni. Este artigo é importantissimo porque estabelece uma ponte entre as teorias de Goffman e Leary (da era pré-Internet) e o contexto actual, tendo como objectivo analisar em que medida estas teorias se adaptam às novas redes sociais on-line. Não é um artigo que desenvolva muitos conceitos, mas contextualiza as teorias apresentadas e tenta enquadrá-las na auto-apresentação dos utilizadores do Facebook. O seu resumo pode ser visto aqui.

 

- "Identity construction on Facebook: Digital Empowerment in Anchored Relationships" (2008), de Zhao, Grasmuck e Martin. Este artigo apresenta conceitos interessantissimos para o meu objecto de estudo. Os autores fazem uma comparação entre a auto-apresentação do eu em ambientes on-line anónimos, como é o caso dos chats, e ambientes on-line "não-anónimos", como por exemplo o Facebook; estudam de forma pormenorizada a utilização das diferentes secções do perfil do Facebook por parte dos seus utilizadores; introduzem uma óptima revisão da literatura, que lhes permite utilizar conceitos relevantes relacionados com o "self" (apresentado por Goffman na sua teoria dramatúrgica). O seu resumo pode ser visto aqui.

 

Outros artigos pertinentes e que introduzem conceitos relevantes:

 

- " What Elements of an Online Social Networking Profile Predict Target-Rater Agreement in Personality Impressions?" (2008), de Evans, Gosling e Carroll, que criaram uma rede social (YouJustGetMe.com) propositadamente para o seu estudo, onde é possível um utilizador auto-descrever-se, através de um questionário, sendo que os outros utilizadores podem preencher o mesmo questionário com o objectivo de comparar a "concordância de impressões" que o indivíduo tem de si e que o outro tem do indivíduo. O seu resumo pode ser visto aqui.

 

- "Facebook Profiles Reflect Actual Personality, Not Self-Idealization." (2009), de Back, Stopfer, Vazire, Gaddis, Schmukle, Egloff e Gosling, onde são introduzidos os conceitos de "idealized virtual-identity hypothesis" (personalidades idealizadas nas redes sociais) e "extended real-life hypothesis" (extensão das personalidades reais nas redes sociais). O seu resumo pode ser visto aqui.

 

Neste momento, já começa a ser possível comparar ideias de diferentes autores, assim como perceber que conclusões os artigos têm em comum. Pode dizer-se que  o trabalho começa a dar algum fruto! ;)

publicado por filipa-jorge às 14:19 | comentar